top of page
  • Foto do escritorJoão Paulo Araújo

Mercados emergentes: quais as vantagens e riscos de investir?

investir em mercados emergentes

Mercados emergentes podem ser uma forma interessante de rentabilizar o seu capital. No entanto, antes de investir neles, é preciso conhecê-los bem. Assim, você poderá avaliar se essas economias fazem sentido para a sua estratégia de investimento.


Muitas vezes, quando se trata do mercado financeiro, os investidores pensam nos Estados Unidos e em países da Europa, como Alemanha, Reino Unido e França. Porém, existem mercados em desenvolvimento que também podem oferecer oportunidades para quem deseja investir.


Quer entender o que são mercados emergentes, além de quais as principais vantagens e riscos de investir neles? Confira ao longo deste artigo!


O que são mercados emergentes?


Mercado emergente é um termo utilizado para se referir a economias de países em desenvolvimento. Para receber essa classificação, eles devem ter algumas características específicas, como:


●        alta taxa de crescimento econômico;

●        rápido desenvolvimento industrial e urbano;

●        população em expansão;

●        mão de obra relativamente barata;

●        grande disponibilidade de recursos naturais.


Os mercados emergentes estão em transição entre as economias menos e mais desenvolvidas, sendo vistos como fontes de oportunidades de investimentos.


Quais são as principais vantagens de investir em mercados emergentes?


Agora que você já sabe o conceito de mercados emergentes, veja quais são as principais vantagens de investir em economias de países que possuem essa classificação!


Potencial de ganhos


Um dos principais pontos positivos de investir em mercados emergentes é que eles podem oferecer retornos mais altos em comparação com aqueles que já são desenvolvidos. Isso acontece devido à margem de crescimento que eles têm e à expansão acelerada de diversos negócios.


Como consequência, esse cenário pode resultar em oportunidades significativas de lucro para os investidores.


Diversificação de portfólio

-



Investir em mercados emergentes também pode ser uma escolha adequada porque contribui para a diversificação da sua carteira — tanto geográfica quanto setorial. A prática ainda ajuda a reduzir o risco global do seu portfólio.

Como essas economias muitas vezes têm baixa correlação com os mercados mais desenvolvidos, seus retornos podem se mover de forma independente. Desse modo, é possível ter uma camada de proteção contra a volatilidade.


Demografia favorável


Outra vantagem de investir em mercados emergentes é que muitos deles têm populações jovens e ativas, que visam uma boa formação e estão dispostas a trabalhar. Por consequência, essas características podem gerar diversos benefícios, como:


●        impulsionar o consumo interno;

●        estimular o crescimento econômico;

●        criar ou expandir novos mercados.


Inovação e crescimento setorial


Por último, vale ressaltar que, muitas vezes, os mercados emergentes abrigam empresas inovadoras e de rápido crescimento em diferentes setores. Alguns exemplos são:


●        tecnologia;

●        saúde;

●        energia renovável;

●        serviços financeiros.


Dessa forma, esses países oferecem oportunidades de investimento em companhias que estão no caminho do progresso e que podem gerar ganhos atrativos.


Quais os principais riscos de investir em mercados emergentes?


Embora existam diversas vantagens de investir em mercados emergentes, é válido saber que também há alguns riscos relacionados à prática.


Conheça os principais!


Riscos políticos e econômicos


Em mercados emergentes, há possibilidade de enfrentar riscos de instabilidade política, mudanças regulatórias e falta de proteção legal. Como consequência, essas situações podem afetar os investimentos negativamente.


Volatilidade cambial


As flutuações nas taxas de câmbio também podem impactar significativamente os retornos de quem investe em mercados emergentes. Nesses países, a volatilidade cambial pode ser elevada por fatores como políticas monetárias instáveis, desequilíbrios comerciais e crises financeiras.


Risco de inflação


Além das circunstâncias anteriores, diversos mercados emergentes enfrentam pressões inflacionárias. Isso pode ocorrer devido a políticas monetárias frouxas, aumento dos preços das commodities e choques econômicos internos, por exemplo.

Nesse contexto, a inflação pode acabar corroendo os retornos dos investimentos e reduzir o poder de compra ao longo do tempo. Portanto, esse é mais um ponto para atentar na hora de tomar uma decisão sobre se expor a economias em desenvolvimento.


Quais são os principais mercados emergentes para investir?


Com as informações dos tópicos anteriores, você conferiu quais são as principais vantagens e riscos de investir em mercados emergentes. Mas, afinal, quais são eles? Veja-os a seguir:


●        Brasil: é o maior país da América do Sul e a maior economia da América Latina. Esse mercado oferece oportunidades de investimento em commodities, energia e agricultura, além de estar emergindo como um centro de inovação e tecnologia;

●        Rússia: rica em recursos naturais, trata-se de um grande produtor de petróleo, gás natural e minerais. O país proporciona oportunidades de investimento em energia, commodities, tecnologia e setores industriais;

●        Índia: com a maior população do mundo, a Índia é um dos mercados emergentes mais promissores, especialmente nos setores de tecnologia, serviços financeiros e infraestrutura;

●        China: é a segunda maior economia do planeta. O país oferece uma ampla gama de oportunidades em setores como tecnologia, consumo e manufatura;

●        África do Sul: com uma economia diversificada e abundante em recursos naturais, há oportunidades de investimento em mineração, energia, serviços financeiros e turismo.


Além desses países, que são os que compõem o grupo BRICS, vale mencionar outros mercados emergentes, como:


●        México;

●        Indonésia;

●        Cingapura;

●        Turquia;

●        Coreia do Sul.


Como acessar esses mercados para investir o seu dinheiro?


Se, ao conhecer melhor os mercados emergentes, você acredita que eles podem fazer sentido para sua estratégia, vale a pena saber como acessá-los. Para esse propósito, existem duas formas principais: a direta e a indireta.


Para acessar mercados emergentes de maneira direta, você deve abrir uma conta no país em que deseja investir — China, Índia ou outro. Porém, o processo é mais trabalhoso e, dependendo do caso, pode ser mais custoso também.


Por esse motivo, uma alternativa para se expor a países emergentes de modo mais simples e prático é fazer isso a partir do Brasil. Para tanto, você deve abrir uma conta em um banco de investimentos. Você pode ter uma conta internacional, por exemplo, que dê acesso a investimentos.


Também é possível investir tanto em aplicações e ativos no Brasil, que é um país emergente, como acessar outras economias no exterior por meio de alternativas do mercado brasileiro. Nesse caso, para tornar a sua carteira internacional, existem quatro alternativas principais:


●        fundos cambiais;

●        fundos internacionais;

●        exchange traded funds (ETFs) — fundos de índice;

●        brazilian depositary receipts (BDRs) — certificados de depósito de valores mobiliários.


Investir em mercados emergentes pode ser uma estratégia útil para quem busca diversificação, potencial de crescimento e exposição a oportunidades globais. No entanto, é preciso estar ciente dos riscos e adotar uma abordagem cautelosa ao se expor a esses países, ok?


Gostou do conteúdo? Tem alguma dúvida ou comentário a fazer? Utilize o espaço abaixo para deixar suas impressões sobre o tema!

Kommentare


bottom of page