• Vinicius Fernandes

Queda do dólar: quais são as oportunidades e a importância de investir no exterior?


Este vídeo tem objetivo meramente educacional e informativo.



Com a queda recente do dólar esta é uma pergunta que passa pela cabeça de todos os investidores. Já estamos em um bom momento para comprar? Ou será que pode cair mais?


Dois aspectos precisam ser considerados para responder essa pergunta: (i) Quais os fundamentos econômicos que movem o dólar; (ii) Qual a importância de se investir em moeda forte.


Primeiro precisamos entender quais as variáveis que movem o dólar em relação ao real. No Brasil, os movimentos na taxa de câmbio podem ser explicados por três principais fatores: (i) Diferença entre a taxa de Juros no Brasil e nos EUA; (ii) Preço das commodities; (iii) Risco País. Parece complexo, né? Mas calma que vamos simplificar.


A diferença entre a taxa de juros no Brasil e nos EUA indica quão atrativo o Brasil está para o investidor estrangeiro. Imagina comigo, se o governo brasileiro paga 10% ao ano em juros, e o americano apenas 2%, é natural que parte dos investidores estrangeiros queiram investir aqui. Agora, se essa diferença for de apenas 1%, poucos investidores trarão parte dos seus investimentos para cá. Em momentos como o atual, onde o governo brasileiro tem pagado taxas muito atrativas de juros, é natural que o Brasil atraia capital internacional.


Para os preços das commodities, a relação é bem simples: quanto mais alto o valor dos produtos que o Brasil exporta, mais dólares entrarão em nossa economia pelo comércio. O momento atual também é favorável, tendo em vista que o impacto da Guerra entre Rússia e Ucrânia tem sido uma forte valorização das commodities. Esses dois fatores juntos explicam boa parte do movimento atual de valorização da nossa moeda contra o dólar.


No entanto, para frente, devemos nos atentar a evolução de uma terceira variável: o risco país. Quanto mais arriscado investir no Brasil, menor será o interesse do investidor estrangeiro. Tendo em vista um cenário eleitoral polarizado e uma sociedade dividida, acreditamos que esse fator pode surpreender negativamente.


Ou seja, a valorização recente do real contra o dólar tem pouca relação com uma melhora da economia local, e muito com fatores externos. Para continuarmos acreditando em valorizações adicionais, devemos também acreditar na continuidade dos movimentos já mencionados. Sendo assim, nos parece que esse momento é extremamente oportuno para os investidores que ainda não possuem moeda forte em sua carteira começarem a ter.


Os benefícios de se investir em moeda forte são diversos, entre eles destacam-se: (i) Construção de reserva de valor; (ii) Aumentar o escopo de oportunidades de investimentos; (iii) Diversificar o portfólio e reduzir risco específico da economia brasileira. A importância do dólar como reserva de valor é tão clara que o próprio Brasil tem aproximadamente 20% do seu PIB em reservas internacionais dolarizadas. Além disso, presenciamos ao longo das últimas décadas diversas empresas internacionais revolucionar o mundo. Apple, Google, Microsft e Amazon são exemplos de empresas que fizeram isso. Imagina como teria sido benéfico investir nelas?

Por fim, com parte do nosso patrimônio em dólar, ficamos menos suscetíveis aos momentos negativos para a economia brasileira. Quando o Brasil vai mal, nossos investimentos no exterior podem compensar parte do resultado negativo.


Existem diversas maneiras de investir no exterior e, com certeza, uma delas será a ideal para o seu momento como investidor. Para identificar e definir essa estratégia é importante que você busque um especialista, ele terá a capacidade de avaliar o seu momento de vida e sugerir qual o melhor caminho para você.


Gostou desse conteúdo e quer saber mais sobre como investir no exterior? Curta e comente aqui suas dúvidas.


Autor: Vinicius Fernandes, Mestre em Economia pelo INSPER e economista da JBN Financial Partners.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo