top of page
  • Foto do escritorRaphael Battaglia

Planejamento financeiro empresarial: qual o papel dos investimentos no processo?

Como anda o planejamento financeiro da sua empresa?

O planejamento financeiro empresarial funciona como uma bússola para o crescimento do negócio. Isso porque ele revela a situação atual do empreendimento, enquanto mostra o direcionamento rumo ao crescimento.


Assim, é fundamental ter atenção para essa etapa, realizando o processo com atenção e estratégia. Além de gerenciar bem os recursos, é necessário entender o papel dos investimentos para a saúde financeira da empresa.


Quer saber mais sobre o planejamento financeiro empresarial? Acompanhe, neste artigo, as principais informações sobre o tema!


O que é o planejamento financeiro empresarial?


O planejamento financeiro empresarial é uma etapa da gestão do negócio que abrange ações destinadas ao melhor uso dos recursos financeiros. Assim, ele envolve a previsão de ganhos e gastos nos diversos cenários.


Nesse sentido, um bom planejamento contempla os resultados passados, o momento presente e as projeções para o futuro, além das metas. Ele é essencial para as lideranças conhecerem a saúde financeira do negócio, buscando oportunidades de lucros, bem como uma gestão de riscos eficiente.


Portanto, um planejamento financeiro bem elaborado é determinante para a longevidade e o crescimento da empresa. Afinal, ele orienta as decisões para maximizar os resultados e fazer com que o empreendimento se destaque.


Como realizar um bom planejamento?


Após entender o que é o planejamento empresarial e a sua importância, você deve saber quais são os passos básicos para colocá-lo em prática. Confira!


Conheça a situação atual da empresa


Primeiramente, é preciso fazer uma avaliação da situação atual da empresa. Verifique a organização das contas, a relação entre as receitas e as despesas, bem como as falhas que devem ser corrigidas.


Esse passo é indispensável para conhecer o ponto de partida e identificar as melhorias necessárias na gestão financeira. Alguns aspectos a serem analisados são operações, recursos humanos e concorrência.


Note que a análise da situação atual funciona como uma base para o planejamento financeiro. Logo, esses dados servem como insumos para os passos seguintes, tornando os planos mais realistas.


Defina objetivos


A partir da avaliação do momento presente, a gestão pode determinar os objetivos de crescimento. Eles devem estar alinhados com a visão e missão da empresa, refletindo o posicionamento desejado no mercado.


Para tanto, é recomendável subdividir os objetivos em metas de curto, médio e longo prazo. Desse modo, o planejamento adquire uma perspectiva temporal. Como resultado, a empresa pode monitorar o progresso ao longo do tempo e ajustar suas estratégias conforme necessário.


Os objetivos de curto prazo abrangem questões imediatas, como liquidez e eficiência operacional. No horizonte de tempo médio, as metas tendem a visar à expansão de mercado ou ao desenvolvimento de novos produtos.

Já os planos de longo prazo focam em aspectos mais amplos, como liderança no mercado e sustentabilidade financeira.


Tenha estratégias de crescimento


Para ter sucesso com o seu planejamento financeiro, não basta ter metas realistas e bem definidas, também é importante contar com estratégias para o crescimento. Assim, você define a qual ponto deseja chegar e entende como esse processo será feito.


Desse modo, todas as decisões relacionadas às finanças devem ter uma base técnica alinhada com os objetivos do negócio. Portanto, verifique as oportunidades e determine formas de alcançar os resultados desejados. Elas abrangem, por exemplo, a precificação, o marketing e outros aspectos do empreendimento.


Monitore os resultados


Como você viu, é preciso monitorar os resultados do planejamento. Com a determinação das metas e seus respectivos prazos, a empresa deve adotar sistemas e ferramentas para verificar o seu cumprimento.


Da mesma forma, acompanhar os resultados financeiros é fundamental para identificar ajustes necessários conforme as demandas internas e o cenário externo.


Delegue as funções


Na hora de gerenciar um empreendimento, é comum que os líderes acumulem funções. Contudo, delegar tarefas de maneira inteligente é importante para descentralizar as atividades. Por esse motivo, é crucial envolver a equipe no planejamento, definindo as responsabilidades para que ele seja cumprido, está bem?


Qual a importância dos investimentos nessa etapa?


Até aqui, você conheceu as principais informações sobre o planejamento financeiro empresarial e como colocá-lo em prática. Nesse contexto, uma das decisões importantes é sobre como os recursos serão mantidos.


É preciso saber direcionar bem o dinheiro do fluxo de caixa, da reserva de emergência, o montante para pagamento da equipe e outros ativos do negócio. Tenha em mente que manter a quantia em contas correntes comuns pode representar perdas de oportunidades de rentabilização.


Da mesma forma, não investir o dinheiro significa perder o seu poder de compra para os efeitos da inflação. Portanto, é fundamental investir de forma inteligente. Ainda, fazer os investimentos certos pode até mesmo evitar a necessidade de recorrer ao crédito, por conta da rentabilidade obtida.


Como selecionar os investimentos para a empresa?


Como foi possível aprender, além de realizar o planejamento financeiro empresarial, é preciso selecionar as melhores alternativas do mercado financeiro para alocar o dinheiro. Essa decisão deve estar relacionada ao objetivo de cada montante.


O capital da reserva de emergência e do fluxo de caixa, por exemplo, deve ser mantido em um investimento com baixo risco e liquidez diária. Uma alternativa que tende a se adequar a essa finalidade é o CDB (certificado de depósito bancário).


Já as quantias para objetivos futuros, ou que demorarão a ser acessadas, podem permanecer em investimentos com prazos mais estendidos e que ofereçam maior potencial de retorno. Nesse contexto, é válido estudar sobre os fundos de investimentos e as ações, entre outras alternativas.


Considere que existem investimentos para pessoas jurídicas que têm algumas diferenças em relação aos que estão disponíveis para pessoas físicas. Isso porque pode haver certas restrições. Os títulos do Tesouro Direto, por exemplo, não podem ser acessados por empresas.


Desse modo, a gestão pode ter dificuldades de selecionar as alternativas mais adequadas para compor a carteira de investimentos da pessoa jurídica. Aqui, é possível contar com o auxílio de assessores, que tiram as dúvidas e colaboram com a elaboração de uma estratégia eficiente no mercado financeiro.


Como você pôde ver, o planejamento financeiro empresarial é fundamental para otimizar o uso dos recursos do negócio. Ela garante a sua saúde financeira e longevidade, além de permitir aproveitar oportunidades de obter rentabilidade com bons investimentos.



A sua empresa precisa de ajuda para investir? Entre em contato com a Jobin Investimentos e conheça mais sobre o serviço de assessoria!

コメント


bottom of page